VC REPÓRTER - CONTRIBUA CONOSCO E ENVIE FOTOS E VÍDEOS

VC REPÓRTER - CONTRIBUA CONOSCO E ENVIE FOTOS E VÍDEOS

domingo, 19 de outubro de 2014

POLÍCIA MILITAR DO CEARÁ HOMENAGEIA SEU FUNDADOR.


Na tarde de sexta-feira (17), no Quartel do Comando Geral, foi realizada a solenidade cívico-militar em homenagem ao Padre e Senador José Martiniano Pereira de Alencar, fundador da Polícia Militar do Ceará.
José martiniano de Alencar era filho do capitão e comerciante português José Gonçalves dos Santos e de Bárbara Pereira de Alencar, nasceu em 16 de outubro de 1794, no vilarejo de Barbalha pertencente a então vila do Crato, no Ceará. Foi padre, jornalista e político brasileiro, exercendo o cargo de senador pela província do Ceará, de 2 de maio de 1832 até sua morte e, durante seu mandato vitalício no Senado, foi presidente da província do Ceará por duas vezes, período este que criou - através da Resolução Provincial nº 13 - a Força Policial, dando origem à nossa Polícia Militar do Ceará.

EM BARROQUINHA, EX-PRESIDIÁRIO É BRUTALMENTE MORTO A PEDRADAS E PAULADAS.

"Gato Mestre", vítima do homicídio
A vítima era ex-presidiário e já postamos matérias sobre algumas de suas prisões. Veja AQUI e AQUI.

Um ex-presidiário foi morto brutalmente a pedradas e pauladas durante a tarde de sábado, 18, na cidade de Barroquinha. Outro companheiro da vítima também foi espancado, sofreu vários hematomas e teve um braço fraturado, porém, conseguiu fugir e se salvar.
Era por volta das 05h00 da tarde quando os policiais do destacamento foram informados sobre um espancamento que estava acontecendo na Rua Campo do Edmário. Sem perda de tempo os militares foram ao local e lá encontraram um homem caído no chão bastante ensanguentado, rodeado por pedras e pau. Logo os pm's observaram que a vítima já estava morta, trata-se do ex-presidiário Adriano Pereira Lira, vulgo "Gato Mestre", 28 anos, natural de Barroquinha.

UMA REFLEXÃO SOBRE AS CRÍTICAS À ELEIÇÃO DE CANDIDATOS POLICIAIS.

As últimas eleições para deputado estadual e federal destacaram um fenômeno claro: cada vez mais policiais são eleitos para as assembleias legislativas nos estados e para a Câmara Federal. De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, iniciam o mandato em 2015 cerca de 15 deputados federais e 40 deputados estaduais ex-policiais, que de algum modo atuarão discutindo polícia e segurança pública. É um sinal claro de que há uma mobilização entre os integrantes da categoria visando defender seus interesses. Tão logo esse crescimento eleitoral dos policiais foi detectado, surgiram polêmicas, críticas e discursos manifestando medo sobre a orientação conservadora que esses deputados levariam ao debate político.

"POLICIAL MORTO, FARDA EM OUTRO"

“Soldado morto, farda em outro”: que essa orientação parece fazer parte do entendimento de muitos governantes Brasil afora, até se desconfiava, mas dizer isso de maneira clara e pública num debate eleitoral é a primeira vez que ocorre. Ao ser provocado a falar sobre a morte de policiais no Rio de Janeiro (que em 2014 já teve 216 policiais baleados e 62 mortos), o candidato Marcelo Crivella disse que “para cada policial morto, nós vamos formar mais dez, e mais dez e mais dez…”


Via Abordagem Policial