VC REPÓRTER - CONTRIBUA CONOSCO E ENVIE FOTOS E VÍDEOS

VC REPÓRTER - CONTRIBUA CONOSCO E ENVIE FOTOS E VÍDEOS

sábado, 21 de janeiro de 2017

MULHER ACUSADA DE TRÁFICO EM BITUPITÁ PASSA SÓ DOIS DIAS PRESA POR FALTA DE VAGA NA CADEIA


O trabalho policial está cada vez mais difícil e a velha expressão “enxugando gelo” nunca foi tão usada no meio policial. Leis frouxas, benevolência demasiada por parte das muitas autoridades e agora um fator complicador, a falta de vaga nas cadeias, só agrava a situação.

Acusada de tráfico solta

O sistema em nosso país só beneficia quem está às margens da lei, é o que a maioria das pessoas diz... e a voz do povo é a voz de Deus. O que parecia péssimo pode ainda ficar pior. Acreditem, uma mulher já bastante conhecida pela polícia no distrito de Bitupitá, em Barroquinha, e presa por policiais militares na última quarta-feira, 18, sob a acusação de tráfico de drogas, saiu da cadeia dois dias depois ser presa ao ser flagrada com 149 pedras de crack prontas para venda.

Falta de vagas

A justificativa da justiça é que a mulher foi presa em Bitupitá/Barroquinha e presos deste município cumprem pena na cadeia pública de Chaval. O problema é que a cadeia de Chaval não possui cela feminina e a justiça não conseguiu uma vaga em outra cadeia da região, desta maneira o Juiz responsável pelo caso decretou a prisão domiciliar da acusada.
Todos nós sabemos que sem tornozeleira e sem fiscalização, a prisão domiciliar torna-se somente uma prisão simbólica, é como se não existisse, o “preso” torna a delinquir facilmente e livremente.
A medida que beneficiou a acusada é mais um fator que estimula o tráfico de drogas praticado por mulheres nos município de Barroquinha e Chaval, pois mesmo que sejam presas elas já sabem que terão no máximo uma “prisão domiciliar” pela frente. Isso é uma dose desestimuladora para a classe policial.

Atualizando: Cerca de 24 horas após ser decretada a prisão domiciliar da acusada, a justiça conseguiu uma vaga em uma penitenciária da região metropolitana de Fortaleza. A mulher chegou na tarde de sexta-feira, 20, na cadeia pública de Granja onde permanecerá até segunda-feira, 23, data em que será transferida para um presídio da região metropolitana de Fortaleza.

Camocim Polícia 24h

6 comentários:

Anônimo disse...

Em Chaval duas mulheres foram presas com drogas para tráfico; é o mesmo aconteceu as duas em prisão domiciliar, só que todos da cidade sabem que elas continuam traficando !

Anônimo disse...

Mande pra Camocim, gostamos de ver é o circo pegar fogo , e sempre cabe mais um ou uma. Kkkkk......

Anônimo disse...

para o trafico de drogas isso e muito bom ne

Anônimo disse...

O pais bom para quem não quer prestar

Anônimo disse...

Bem feito, essa mulher ameaçou meu cachorrinho de morte disse que ia mata-lo de tiro

Anônimo disse...

Nosso brasil e uma vergonha