quarta-feira, 6 de maio de 2015

PROMOÇÕES DE POLICIAIS: GOVERNO DEVE ENFRENTAR PRESSÃO.

Muitos deputados estão insatisfeitos por terem as emendas rejeitadas pelas comissões. Alguns prometem insistir

A votação do projeto de Lei do Governo do Estado que trata das promoções dos policiais militares e bombeiros do Ceará, ao que tudo indica, após reunião tensa de apreciação de cem emendas apresentadas na semana passada, não vai ser das mais fáceis para a base governista nesta semana. Alguns opositores e até mesmo aliados vão apresentar recursos e emendas de plenário, o que deve fazer com que os trabalhos sejam, mais uma vez, repletos de discussões nos colegiados da Casa. 
A ideia inicial era de que a mensagem fosse apreciada ainda na quinta-feira passada, o que não foi possível devido à reunião conjunta das comissões de Constituição e Justiça, Serviços Públicos e Orçamento, que durou até o fim da tarde daquele dia. O debate contou com a presença de vários deputados novatos e diversos policiais militares, que tentavam pressionar os parlamentares para que fossem acatadas emendas que os beneficiassem. O líder do Governo na Casa, Evandro Leitão (PDT), e o presidente da reunião, Júlio César Filho (PTN), foram algumas vezes hostilizados pelos presentes e até intimidados.


Alteração

Depois de a maioria das emendas apresentadas ter sido rejeitada (só oito de 100 foram aprovadas), os parlamentares que tiveram suas propostas de alteração da matéria rejeitadas vão apresentar, em plenário, algumas sugestões de modificações ao texto original. Eles acreditam que, com a pressão da categoria nas galerias da Casa, o Governo deva acatar algumas dessas emendas e recursos. Na reunião da semana passada, deputados comentavam com policiais presentes que iriam "perder" na comissão, mas convocaram os militares a comparecer à votação na sessão ordinária desta semana.

Os deputados Heitor Férrer (PDT), Wagner Sousa (PR), Elmano Freitas, Welington Landim (PROS), Tomaz Holanda (PPS) e Renato Roseno devem levar a plenário algumas de suas emendas rejeitadas na reunião conjunta das comissões e ainda outras propostas novas.

Emendas

O líder do Governo, Evandro Leitão, afirmou que desde ontem conversa com os colegas, aliados e da oposição, para saber que emendas de plenário eles pretendem apresentar. Ele quer evitar que essas propostas atrapalhem a votação, já que há um interesse do Governo para que a aprovação seja feita o mais rápido possível. "A partir desta terça-feira (ontem) vamos manter os contatos amistosos com os colegas deputados para saber que emendas são essas que vão ser encaminhadas ao plenário", declarou o pedetista, ressaltando ainda que a matéria contempla a grande maioria da categoria.

De acordo com o Departamento Legislativo da Assembleia, houve uma intenção de se realizar a votação na terça-feira, mas, conforme informaram, a discussão deve ficar somente para quinta-feira mesmo para que a liderança governista possa discutir com mais cautela as propostas que os deputados querem levar ao Plenário 13 de Maio e arregimentar toda a bancada para garantir a aprovação.


Os deputados que conseguiram aprovar emendas nas comissões foram o próprio líder do Governo, Evandro Leitão (PDT), emplacando três propostas; Capitão Wagner (PR), com mais três; Tin Gomes (PHS), com uma sugestão acatada, e Roberto Mesquita (PV), também uma.

Fonte: DN

Nenhum comentário: