quarta-feira, 23 de novembro de 2011

CASO HILUX: PM NO BANCO DOS RÉUS

O soldado da Polícia Militar será julgado por tentativa de homicídio contra os dois casais que estavam no veículo
Um dos policiais militares acusados de participar da operação ´desastrosa´, em 2007, que deixou um turista espanhol paraplégico e lesionou um italiano, será julgado na manhã de hoje pelo Tribunal do Júri da 2ª Vara da Comarca de Fortaleza.
O soldado PM Luiz Ary da Silva Barbosa Júnior, será julgado por tentativa de homicídio contra quatro pessoas, segundo informações do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE).

Na noite do dia 26 de setembro de 2007, o casal Innocenzo Brancatti e a esposa dele, a brasileira Denise Sales Brancati voltavam do Aeroporto em uma caminhonete Hilux com os amigos espanhóis Marcelino Ruiz Campelo e a mulher dele, Maria Del Mar, que haviam acabado de chegar à Fortaleza.

Na avenida Raul Barbosa, sentido Aeroporto-Aldeota, o veículo foi cercado e metralhado por patrulhas da PM. Os militares estavam à procura de bandidos que haviam roubado um caixa eletrônico na Empresa Municipal de Limpeza Urbana (Emlurb), e confundiram a caminhonete preta onde estavam os turistas com o veículo usado pelos bandidos.

Sem fazer abordagem, os policiais efetuaram diversos tiros, dos quais 22 atingiram o veículo. Innocenzo Brancati, que dirigia o carro, foi atingido no braço, e Marcelino Ruiz Campelo levou um tiro no ombro esquerdo. A bala se instalou na coluna ele ficou paraplégico.

Segundo o Ministério Público, os disparos só cessaram quando Denise Sales Campos Brancatti resolveu sair do automóvel e implorou para que os tiros cessassem, pois eles não eram assaltantes.

O júri popular será presidido pelo titular da 2ª Vara do Júri, Henrique Jorge Holanda Silveira. A acusação será representada pela promotora de Justiça Alice Iracema Melo Aragão e pelo advogado Leandro Duarte Vasques. A defesa será patrocinada pelo defensor público Gelson Azevedo Rosa e pelo advogado Delano Cruz. Outros quatro réus do mesmo caso serão julgados em dezembro.

Fonte: DN
CAMOCIM POLÍCIA24HS

Um comentário:

Anônimo disse...

na minha cidade aconteceu um caso dese e morreu uma cem hora uma criança e ferio mas trés pessoas dentro de um caro de trasporte ao ternativo e o jus deu como o deve da função o estado saio de boa cem paga nada para o marido da mulher e os filhos da vitima por se trata de uma pedinte mulher de relo joheiro