sábado, 5 de março de 2016

DELEGACIAS DA POLÍCIA CIVIL VIRAM ALVO DE BANDIDOS E TERCEIRA É METRALHADA EM TRÊS DIAS.

Desta vez, o alvo foi o 23º Distrito Policial (Caucaia). Apesar da violência, ninguém ficou ferido

Mais uma delegacia foi atacada no Ceará. Desta vez, os criminosos metralharam o prédio do 23º Distrito Policial (Conjunto Nova Metrópole), na cidade de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), na madrugada deste sábado (5). Esta foi a terceira delegacia metralhada entre a noite de quinta-feira (3) e o início deste sábado (5).
De acordo com a Polícia Civil, pelo menos dois homens armados chegaram à frente do Distrito Policial durante a madrugada. Eles sacaram as armas e efetuaram diversos tiros.
Os disparos atingiram a porta e as janelas de vidro da unidade policial, que ficaram destruídas. A fachada do prédio também ficou com diversos buracos de bala.
Após os ataques, os criminosos fugiram sem serem identificados. Apesar do ataque, ninguém ficou ferido.


Ataques diversos

Na noite da última quinta-feira (3), homens armados de pistola e escopeta atiraram na fachada do 19º DP (Conjunto Esperança), na noite desta quinta-feira (3). A porta de vidro da distrital foi destruída pelos disparos.
Horas depois, um grupo metralhou o 27º Distrito Policial, no Henrique Jorge. Uma granada ainda foi arremessada contra a distrital, mas o artefato não explodiu.
Além das delegacias, um prédio da Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus) também foi atacado na quinta-feira, na Avenida Heráclito Graça, no Centro. Dois homens armados efetuaram diversos disparos contra a unidade que abriga os setores da Coordenadoria de Inclusão Social do Preso e do Egresso (Cispe) e a Central de Alternativas Penais (CAP). Conforme a Sejus, ninguém ficou ferido.
O transporte público também foi alvo da ação dos criminosos. Ao todo, até ontem, oito coletivos haviam sido atacados, alguns, inclusive, sendo totalmente incendiados.

Investigação

A Polícia investiga quem foram os autores dos ataques. A Secretaria da Segurança e Defesa Social (SSPDS) não confirmou se os ataques possuem ligações.
Uma reunião com o secretário e o adjunto da SSPDS, além dos comandantes das polícias Militar e Civil foi realizada na sede da Secretaria, na última sexta-feira (4). O objetivo é estabelecer a linha de atuação para elucidar os fatos.

A Secretaria da Segurança comunicou, em nota, que a Polícia trabalha com pelo menos cinco linhas de investigação sobre os ataques nas delegacias, no prédio da Sejus e incêndios nos ônibus.

"A Polícia trabalha com várias linhas de investigação sobre os casos. Entre elas, retaliação pela morte de um adolescente que era envolvido com o tráfico, em confronto com o BPRaio; uma tentativa de suborno que foi feita à Polícia para a liberação de um traficante logo após ele ser preso; alegação de maus-tratos em presídios; a remoção de um traficante para um presídio federal; e uma possível retaliação pela discussão de uma Lei sobre o bloqueio de sinal de celular nos perímetros de unidades prisionais. Nenhuma das linhas é descartada", informou a Pasta em nota.

Fonte: DN

Um comentário:

Anônimo disse...

O Estado dormiu de vez, foi??? Quanta inoperância!!! Desate as mãos dos bons políciais, Sr. Governador Camilo Santana! Não adianta promovê-los para depois deixar que sejam exterminados pela bandidagem protegida dos direitos humanos... Ponha um freio nessa violência desgovernada! Assuma o controle, mostre que quem tem poder é a polícia, o Estado e não a bandidagem! Dê carta branca aos bons políciais e os deixem fazer a "assepcia social", Nós cidadãos de bem, o imploramos, Sr. Governador! Paciência tem limites!