quinta-feira, 5 de março de 2015

SENADOR CABRA MACHO QUER INSTITUIR PRISÃO PERPÉTUA NO BRASIL

O senador Magno Malta (PR/ES) promete entregar, na próxima terça-feira (24), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, requerimento solicitando plebiscito no Brasil este ano, para instalação de uma mini constituinte ou constituinte exclusiva com objetivo de ouvir a população para decidir se quer ou não prisão perpétua para narcotraficantes, pedófilos e corruptos. Ele também pretende que sequestro relâmpago e assaltos na porta de bancos conhecidos como "saidinhas", sejam classificados como crimes hediondos.
"No Brasil, a lei não é severa e justa. A pena no País não pode ultrapassar o teto de 30 anos. Um criminoso que assalta e assassina várias pessoas, pode ser condenado até mais de 200 anos em regime fechado, mas só vai cumprir até 30 anos de reclusão e com tantos benefícios do Código Penal em favor do preso, como regime semiaberto para estudar ou trabalhar e com apenas 1/3 da pena cumprida, já pode gozar de liberdade total. É uma falácia. Prisão perpétua no Brasil já. Precisamos de leis severas para diminuir a impunidade que vai refletir diretamente na crescente violência urbana", informou Magno, em entrevista ao jornal A Tribuna.


Segundo o parlamentar, o Congresso Nacional não vota leis mais duras por descaso e” falta de sensibilidade com a dor alheia”. Por isso a ideia de propor uma constituinte exclusiva, já que, afirma, pesquisas realizadas “por vários institutos, inclusive pelo próprio Senado Federal revelam que 90% da população e do parlamento querem a redução da maioridade penal, mas na hora de votar não escutam o anseio popular e votam com o governo que em nome da ideologia política não trata esta pauta com responsabilidade. Camocim Polícia 24h A famosa base do governo fecha os olhos para as vítimas de criminosos cruéis", lamentou Magno Malta.

Quanto ao lobby de advogados e representantes dos Direitos Humanos, Magno diz que jamais foi procurado, mas reconhece sua existência. “Nenhum lobista teve a ousadia de chegar ao meu gabinete para sugerir algo que venha ferir meus princípios".

Em poucas palavras, senador Malta revelou quais acredita serem os verdadeiros motivos que impedem aprovação de leis mais duras para combater a criminalidade.  "A maioria dos parlamentares ainda tem medo do Governo atual, a omissão é notória e infelizmente a total falta de compromisso com o eleitor", encerrou lamentando a crescente violência prometendo lutar pela prisão perpétua no Brasil para crimes qualificados como hediondos.

Via Pec 300

10 comentários:

Anônimo disse...

eita cabra macho, VC. pode conta com minha ajuda. lugar de vagabundo é no xadrez a pão e agua...

Anônimo disse...

Concordo.

Anônimo disse...

Vamos votar e aprovar, chega de tanta vagabundagem em todos os sentidos neste país de conto de fadas.

pizzaria disse...

Muito bem pensado estamos precisar de mudar estas leis, devido as atitudes destes bandidos matando sem piedade.Meus parabens Deputado corajoso.

Anônimo disse...

Meu amigo pra que foi inventar jaja vai ser demitido

alberto t disse...

Na próxima eleição, se Deus quiser, já voto nesse cabra aí, vamos nessa galera.

roberto disse...

Infelizmente sabemos que a maioria dos demais parlamentares serão totalmente contra a essa ideia do nobre senador,visto que um projeto desse vai de encontro a vários interesses da maioria do políticos brasileiros.

Wesley disse...

Esse sim, me representa, se morasse em seu Estado com certeza votaria nele.

Anônimo disse...

Tá mais do que na hora de mudar essas lei do Brasil as lei do Brasil hoje só favorece os bandidos por isso e que o país tá desse jeito estou com vc senador magno

Anônimo disse...

Falou e disse grande Roberto.
A maioria dos Políticos Brasileiros, fazem parte da máfia, onde se realmente houver a prisão perpétua e pena de morte no Pais, serão os primeiros. Mas na realidade em que vivemos, só cumprem pena, aqueles que não tem condições de pagar......Grandioso Senador da República Malta e com eles, temos a minoria e então, muito dificil ser sancionada.