sábado, 14 de junho de 2014

VICENTE PINZÓN: TIROTEIO EM FESTA DEIXA UM MORTO E TREZE FERIDOS

Treze pessoas ficaram feridas e uma delas morreu, em decorrência de um tiroteio ocorrido na Rua dos Jangadeiros, no bairro Vicente Pinzón, onde um grupo de pessoas comemorava a vitória da seleção brasileira, após o jogo de abertura da Copa do Mundo. De acordo com a Polícia, existem duas possíveis motivações para o fato, a primeira é que a desavença tenha sido gerada por questões ligadas ao tráfico; a segunda é que tenha sido por causa de uma mulher.
Os policiais militares que deram as declarações sobre o fato, não quiseram ser identificados. Eles revelaram que havia um grupo de, pelo menos, 300 pessoas na rua, quando a confusão foi desencadeada. Quando os primeiros disparos foram ouvidos, houve intensa gritaria e correria no local. Somente quando os estampidos cessaram é que as pessoas baleadas foram socorridas.

Todas foram levadas, inicialmente, para o Hospital Geral de Fortaleza (HGF) devido a proximidade com o local onde ocorreu o tiroteio. De acordo com informações dadas pela assessoria de comunicação do HGF, uma delas morreu, três foram transferidas para o Instituo Doutor José Frota (IJF), três permanecem internadas e as outras seis já receberam alta médica.

Morreu

Dentre as vítimas estão duas mulheres, uma garota de 16 anos e dois adolescentes de 17. A pessoa que morreu dentro da unidade hospitalar foi um homem identificado como José Anderson da Silva, 25. Ele teria sido atingido por vários disparos e não resistiu a gravidade dos ferimentos. A Polícia não informou se ele estaria envolvido diretamente no tiroteio, ou, se foi ferido por uma bala perdida.

Dentre as três pessoas que permanecem internadas no HGF, uma delas apresenta quadro grave. As outras seis pessoas, que deram entrada na emergência foram atingidas de raspão, ou não sofreram lesões graves e receberam alta médica ainda na madrugada de ontem.

Uma mulher chamada Luzinete dos Santos Barbosa foi ferida por dois tiros, um na altura da coxa e outro na altura da panturrilha, disse na saída do hospital, que nunca esquecerá os momentos de terror que viveu.

"Foi horrível. Eu não sei de nada e nem o porquê daquilo ter acontecido. Estava com minhas duas filhas e tudo que eu queria era que elas corressem para não serem baleadas. Graças a Deus as duas estão bem", declarou a mulher, enquanto reclamava de dores muito fortes na perna atingida pelos disparos.

O quadro de saúde dos pacientes que deram entrada no IJF não foi divulgado pela assessoria de imprensa, que informou que não tem acesso aos prontuários sem os nomes completos de quem deu entrada.

Buscas

Logo após o intenso tiroteio, patrulhas do Batalhão de Policiamento Comunitário (BPCom-Ronda do Quarteirão), do Policiamento Ostensivo Geral (POG) e de outras composições da PM estiveram no local e chegaram a ajudar no resgate aos feridos. Buscas pelos atiradores foram feitas, mas nenhum dos suspeitos foi preso.

O caso começou a ser investigado pelas equipes do 2º DP (Aldeota), mas deverá ser transferido para a delegacia da área, o 9º DP (Vicente Pinzón). A reportagem tentou obter entrevistar a delegada Socorro Portela, titular do 2º Distrito, mas ela estava realizando um procedimento e não pode atender. Até o fechamento desta edição, nenhum dos responsáveis pelos tiros foi identificado ou localizado.

Márcia Feitosa
Repórter
Fonte: DN

Nenhum comentário: