quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

DOIS JOVENS SÃO MORTOS NA ALDEOTA

Dois jovens foram assassinados, no começo da madrugada de ontem, no bairro Aldeota. O crime, ocorrido na esquina da Rua José Vilar com Travessa Jaguaribe, deveu-se a um ´acerto´ do tráfico de drogas entre bandidos de duas comunidades, a do Campo do América e a das Quadras de Santa Cecília. Os mortos foram identificados como Messias Almeida de Sousa, 20; e Mateus da Silva Sobreira, 21. Ambos ainda foram levados para a Emergência do Instituto Doutor José Frota (IJF-Centro), mas faleceram em pouco tempo.  

Clima tenso

Segundo apurou a Polícia, o crime ocorreu por volta de 1h30 de ontem. Além dos dois rapazes que acabaram morrendo, outros dois foram baleados e permanecem hospitalizados. Messias Almeida de Souza e Mateus da Silva Sobreira eram moradores da Comunidade do Campo do América. Ontem, o clima ali era de muita revolta e tristeza.

Ontem à tarde, equipes de reportagem flagraram pessoas armadas naquele local. A comunidade do Campo do América fica a poucos metros da sede da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) e do Palácio da Abolição, sede do Governo do Estado. Mesmo assim, o tráfico de drogas é intenso. A Polícia Militar mantém constante patrulhamento na área com equipes do Ronda do Quarteirão e do BPTur.

Segundo informações de moradores, o crime foi praticado por um grupo de homens que estava dividido em dois carros, cujas placas não foram reveladas. Um deles, seria um Gol preto. O comandante do 8º BPM, tenente-coronel Júlio Aquino, destacou sua equipe do Serviço Reservado para apurar o caso. "Já temos informações sobre a motivação do crime e os nomes dos suspeitos. Poderemos efetuar prisões em breve", destacou o oficial à Reportagem.

Policiais da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) estiveram, no começo da manhã de ontem, no IJF-Centro em busca de informações sobre o caso. 

Fonte: Diario do Nordeste

Um comentário:

Anônimo disse...

Moro na Rua José Vilar, à um quarteirão desse cruzamento. Acordei à 1 hora da manhã com os estampidos de uns 5 tiros. Logo em seguida começou uma enorme gritaria e percebi que tratava-se realmente de tiros. Liguei para o Ciops e relatei o ocorrido. Afirmo com toda certeza que a viatura do Ronda só apareceu depois de quase 25 minutos. E quanto a afirmação de que a polícia mantém "constante" patrulhamento do Ronda e do BPTur, isso não é verdade. Até se vê uma viatura do Ronda vez ou outra, mas BPTur nunca. Vale ressaltar que o cruzamento onde ocorreu o crime é conhecido por todos que moram naquele entorno por ser boca de fumo. Incrível como a polícia nada faz. É possível nos depararmos com crianças consumindo craque diariamente.