sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

EXCLUSIVO: POLÍCIA DESCOBRE OS AUTORES DO ASSASSINATO DE "MACINHO".

Segundo o Delegado de Polícia Dr. Alexandre, só foi possível chegar aos autores do assassinato do homicida Macinho, devido as ações conjuntas realizadas pela Polícia Civil e Polícia Militar.

Marcleudo, vulgo Quedão
Menor envolvido
Desde o dia em que o homicida Macinho foi assassinado, a Polícia Civil investiga o caso e a  Polícia militar realiza buscas aos suspeitos do crime. Diversas pessoas foram iterrogadas, várias linhas de investigações.
Com o avanço das investigações, chegaram-se a nomes de cinco pessoas, dois maiores de idade e três menores.
As informações que se seguem são do elemento Marcleudo Agostinho de Paiva, 25, vulgo "Quedão", residente em Camocim na rua paissandú, bairro praia, em Camocim.

Materiais dos acusados deixados no local do crime

Quedão falou que chegou do mar na noite de domingo, 06, por volta das 18:00 hs e por volta das 19:00 hs foi a casa dos menores G. e do maior de idade Everton. para consumirem bebida alcóolica e lá para as 00:00 hs se dirigiram para a praça da rodoviária para continuarem bebendo. A vítima Macinho chegou até o grupo dizendo está armado à faca e ao mesmo tempo convidando Quendão e os menores a realizarem assaltos no Bat-Caverna (por trás da antiga estação ferroviária). Quendão afirma que topou, mais com a intenção de armar uma emboscada para Macinho. Ainda no caminho para o Bat-Caverna, Quedão se combinou com os menores de iniciais G;  M. e C. para fazer "uma parada" com Macinho, pois os mesmos já alimentavam uma rixa a vários tempos.
Quando chegaram no local combinado para realizarem os assaltos, Quendão desferiu um murro em Macinho, derrubando-lhe no chão. Nesse momento, o menor M. acertou a vítima com uma banda de tijolo e Everton a golpear a vítima com gargalo de garrafa, então Quedão, Everton e os três menores passaram a desferir vários chutes em Macinho. Em um determinado momento, a vítima ainda correu por alguns metros, porém foi alcançado pelos menores G. e C. que passaram a desferir vários golpes de faca. Desta feita, a vítima caiu desacordado no chão. Um acusado tirou o corpo da vítima do meio da rua e tentou escondê-lo nos matos e em seguida cada um fugiram para rumos diferentes. Quedão e o menor C. foram até a praia tentar tirar as manchas de sangue com água. No dia seguinte o bando se encontraram na esquina da rua "Machado" e comentaram que Macinho havia morrido. Fizeram um pácto para que não descobrissem uns aos outros, aquele que abrisse a boca, seria morto pelo restante do grupo. 
Segundo o Delegado Dr. Alexandre, os materiais deixados na cena do crime como , camisas, bonés, sandálias foram de suma importância para o sucesso das investigações. Quendão é maior de idade e está preso no presídio  por  força de um pedido de prisão preventiva. Everton e os menores já foram ouvidos, exceto o menor G. que ficou de se apresentar hoje. Todos os menores serão punidos de acordo com a legislação do Estatuto da Criança e do Adolescente.
Participaram das operações todo o efetivo da Polícia Civil, Força Tática, Getam, Ronda e viaturas do P.O.G.                                Clique Aqui para rever a matéria

2 comentários:

barbara disse...

bem feito para o falecido

Anônimo disse...

PARA A BARBARA QUE DISSE BEM FEITO PARA O FALECIDO A QUI VAI MEUS PEÇAMOS POIS ELA E TODOS QUE ACHA ISSO SÃO POBRE DE ESPIRITO E CARENTE DE REZA POIS EM MEU PONTO DE VISTA NINGUÉM MERECE MORRE ASSIM COVARDEMENTE!!