VC REPÓRTER - CONTRIBUA CONOSCO E ENVIE FOTOS E VÍDEOS

VC REPÓRTER - CONTRIBUA CONOSCO E ENVIE FOTOS E VÍDEOS

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

FUNCIONÁRIO TERCEIRIZADO SUSPEITO É PRESO SUSPEITO DE VENDER DROGAS E ARMAS EM PRESÍDIO

Agentes penitenciários encontraram fardas falsas e drogas com o suspeito. Homem repassava informações pessoais dos agentes aos presos.

Um eletricista foi preso nesta segunda-feira (13) com drogas e fardamentos falsificados dentro da Penitenciária Industrial Regional do Cariri (Pirc), na cidade de Juazeiro do Norte, interior do Ceará. De acordo com Carlos Eduardo Brito, diretor do Sindicato dos Agentes e Servidores Públicos do Sistema Penitenciário do Ceará (Sindasp), o funcionário terceirizado do presídio é suspeito de vender entorpecentes, celulares e até armas para os detentos.
O eletricista foi preso em flagrante dentro de uma sala na Pirc. Com ele, os agentes encontraram uma quantidade de maconha embalada e seis camisas falsificadas de agentes penitenciários.
“Ele já estava sendo investigado há cerca de três meses. A gente recebeu informações de que ele estava vendendo drogas e outros ilícitos para os presos. Hoje, ele foi flagrado com os ilícitos dentro de uma sala que só ele tinha acesso”, comentou Eduardo Brito.
O diretor do Sindasp acrescentou que as fardas de agente penitenciário encontradas com o eletricista seriam entregues aos presos para facilitar em uma possível fuga. Além disso, o homem estava repassando informações pessoais dos agentes penitenciários para os detentos.

“Foi apurado que ele passava informações sobre o itinerário dos plantões, quantidade de agentes no presídio e dados pessoais, como placas dos carros. Apuramos que isso seria para um possível ataque contra os agentes. Mas, felizmente, conseguimos fazer a prisão”.
O eletricista, que já trabalhava há seis anos na unidade prisional, e os materiais apreendidos foram levados para a Delegacia Regional de Juazeiro do Norte.
A Polícia Civil informou que o suspeito está recolhido na unidade e que prestará depoimento na tarde desta segunda. Ele poderá responder por tráfico de drogas, corrupção passiva e falsidade.

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) ressaltou que a Polícia Civil continua os trabalhos de apuração sobre o caso para aprofundar as investigações sobre o envolvimento do eletricista na atividade ilícita, bem como a motivação para possuir as camisas de agentes. O suspeito não tinha antecedentes criminais.

Fonte: G1Ce

Um comentário:

Anônimo disse...

Esses terceirizados só fazem merda.