segunda-feira, 20 de maio de 2013

COMBATE AO CRIME: QUADRILHAS PRESAS POR ATACAR BANCOS


Em duas operações, os agentes da Coin e PMs do Cotar capturaram oito suspeitos de furtos e assaltos nas agências.

Em menos de 24 horas, duas quadrilhas apontadas como envolvidas em assaltos e furtos a bancos no Ceará foram desarticuladas em operações conjuntas entre a Coordenadoria de Inteligência (Coin), da Secretaria da Segurança Pública (SSPDS), Comando Tático Rural (Cotar) e a Delegacia de Roubos e Furtos (DRF).



No total, oito pessoas estão presas depois de autuadas em flagrante naquela Especializada. A Polícia ainda recuperou cerca de R$ 42 mil em espécie e apreendeu duas pistolas, munição, roupas camufladas, dezenas de cartões bancários clonados e duas caminhonetes importadas em poder dos suspeitos.

Identificação

A primeira operação teve início na noite de sexta-feira passada (17) e só terminou na manhã do sábado, quando quatro jovens, alguns de classe média, foram detidos sob a acusação de envolvimento em furtos a caixas eletrônicos em Fortaleza. O grupo começou a ser desarticulado quando agentes da Coin descobriram a casa onde os suspeitos costumavam se reunir antes de se dirigir aos caixas.

A residência, localizada na Avenida Oliveira Paiva, no bairro Cidade dos Funcionários, foi cercado pela Polícia por volta das 22 horas de sexta-feira e ali foram encontrados os apetrechos que o bando usava para violar os equipamentos bancários, como maçaricos, botijões de gás de cozinha, furadeiras elétricas e outras ferramentas, além de R$ 42 mil em espécie.

Em poder da quadrilha que violava caixas eletrônicos em Fortaleza, a Polícia apreendeu cerca de R$ 42 mil em espécie, além de cartões bancários clonados. O delegado Romério Almeida, da DRF, autuou o grupo em flagrante FOTO: WALESKA SANTIAGO



No decorrer da operação, o bando foi sendo desarticulado paulatinamente. Os quatro rapazes acusados de formar a quadrilha foram identificados como Tales Gondim Guerreiro, 29 (tido como o chefe do bando); Jaime Carlos Monteiro Neto, Paulo Enderson Lima Moura, e, ainda, o vigilante Jonathan dos Santos Araújo.

Conforme apurou a Polícia, o bando foi o responsável pelo furto de R$ 108 mil de um caixa eletrônico instalado no supermercado Pão de Açúcar, localizado na Avenida Santos Dumont, na Aldeota. O caso aconteceu na madrugada da última quarta-feira (15). Conforme as investigações, o vigilante que fazia a segurança do supermercado foi amarrado e teve que entregar a farda para os ladrões. No entanto, foi descoberto que ele simulou a situação, pois tinha envolvimento com a quadrilha e recebeu parte do dinheiro tirado do caixa eletrônico do Banco do Brasil.

Outra informação que surpreendeu a Polícia diz respeito ao chefe da gangue. Apesar de pertencer a uma família de classe média e de ter estudado em colégios particulares conhecidos de Fortaleza, Tales Gondim Guerreiro se especializou em violar caixas eletrônicos. Ele ´estudou´ como praticar os furtos através da internet. Em seguida, comprou as ferramentas necessárias para o crime. Com parte do dinheiro que furtou do caixa do BB, comprou caminhonetas importadas. Os veículos já estão apreendidos na DRF.


Numa pousada na Praia de Almofala, no Município de Itarema (litoral Oeste), policiais do Comando Tático Rural (Cotar) prenderam quatro homens armados com pistolas e roupas camufladas similares ao do Exército Foto: fernando ribeiro

Outro bando

Na manhã do sábado, outra operação da Coin, em conjunto com uma patrulha do Comando Tático Rural (Cotar), sob o comando do capitão Kléber Mesquita, prendeu quatro homens em uma pousada na Praia de Almofala, no Município de Itarema, no litoral Oeste do Estado (237Km de Fortaleza).

Entre os suspeitos detidos estão dois bandidos foragidos da penitenciária de Mossoró, no Rio Grande do Norte. Emerson Ricardo Cândido Morais e Expedito Luiz de Carvalho Neto estavam armados com uma pistola de calibre 45 milímetros (de uso privativo das Forças Armadas) e outra de calibre Ponto 40 (restrita ao uso da Polícia).

Com eles, foram também detidos o dono da pousada onde estava a dupla, Roberto Barrozo dos Santos, e o gerente, Antônio Jeovani Maciel de Abreu.

FERNANDO RIBEIRO/EDITOR DE POLÍCIA 
FONTE: DN

Um comentário:

Anônimo disse...

so trabalhador,kkkkkkkkkkkkk