sábado, 5 de maio de 2012

GRUPO DE EXTERMÍNIO: DOIS MILITARES E UM CIVIL ABSOLVIDOS POR ASSASSINATO

A Justiça absolveu três réus acusados de integrar um grupo de extermínio, desarticulado por uma força-tarefa do Ministério Público e da Polícia, em Fortaleza, em 2008. Dois militares e um civil eram acusados de envolvimento em um atentado, a tiro, em 2007,na porta do hospital Frotinha de Messejana, contra dois suspeitos de assaltar e ferir um PM. As vítimas foram detidas, em Pacajus (49Km de Fortaleza), por agentes do Serviço Reservado do Comando do Policiamento da Capital (CPC) e uma acabou reagindo e foi baleada.

Os policiais militares Daimler da Silva Santiago e Glaydston Gama Lopes, além do civil Sílvio Pereira do Vale Silva, o ´Sílvio Pé-de-Pato´, eram acusados de assassinar o artesão Rogério Cadeias da Silva, e ferir, gravemente o primo deste, Roger Alves da Silva. Conforme denúncia produzida pelo Ministério Público Estadual, tudo não passou de uma trama arquitetada pelos acusados para fuzilar os dois suspeitos na porta do hospital, para onde, supostamente, o rapaz ferido na hora da prisão estava sendo socorrido.

Inocentados
No momento em que os policiais do ´Reservado´ do CPC chegaram no hospital, outros homens, usando capuzes e armas de grosso calibre, teriam ´rendido´ os PMs e atirado contra os suspeitos. Para o MP, tudo não passou de uma ´armação´ na qual os PMs rendidos estavam envolvidos.

Mas, no julgamento realizado na última quinta-feira, o Conselho de Sentença da Quinta Vara do Júri considerou os três réus inocentes da acusação.

Fonte: DN
CAMOCIM POLÍCIA 24hs

Nenhum comentário: