VC REPÓRTER - CONTRIBUA CONOSCO E ENVIE FOTOS E VÍDEOS

VC REPÓRTER - CONTRIBUA CONOSCO E ENVIE FOTOS E VÍDEOS

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

CASO GLEYDSON CARVALHO: APÓS DOIS ANOS DO CASO, JUIZ DETERMINA PRISÃO DE TODOS OS ENVOLVIDOS NO ASSASSINATO DO RADIALISTA

Justiça decretou a prisão de dois tios do ex-prefeito James Bel considerados os  mandantes do crime.

Após dois anos da morte do Radialista Gleydson Carvalho, o Juiz da 1ª Vara da Comarca de Camocim, Saulo Gonçalves Santos, expediu novamente o pedido de prisão de João Batista Pereira da Silva, Israel Marques Carneiro e Tiago Lemos considerados foragidos da justiça, além dos pedidos de prisões preventivas de Valdir Arruda Lopes e Francisco Pereira da Silva, todos são acusados de participarem do assassinato do radialista em agosto de 2015.
João Batista, conhecido como Batista Dentista e Francisco Jose Pereira, vulgo Chico Dentista, são tios do ex-prefeito de Martinópole, James Bell, os dois (tios) são acusados de serem os mandantes do crime. De acordo com testemunhas do caso, a vítima sofria ameaças constantemente para não falar do poder público municipal de Martinópole. Esse teria sido o motivo, segundo aponta o relatório do Juiz, do crime cometido, que qualifica o caso como uma rivalidade política na região.
Para quem não lembra do acontecimento, Gleydson foi executado a tiros na tarde do dia 06/08/2015 em Camocim, a 379 quilômetros de Fortaleza. Segundo a Polícia, Gleydson Carvalho foi baleado durante a apresentação de um programa na emissora. Ainda de acordo com a Polícia, dois homens chegaram ao local dizendo que queriam fazer um anúncio e renderam a recepcionista. Em seguida, eles invadiram o estúdio onde Gleydson apresentava um programa, dispararam contra o radialista e fugiram. Segundo testemunhas, na hora do homicídio, a transmissão estava com programação musical. A vítima chegou a ser socorrida e levada para o Hospital Deputado Murilo Aguiar, mas morreu no caminho.
Na época, o fato causou comoção nacional e ganhou grande repercussão na imprensa internacional. Agora dois anos após o caso, o Juiz Saulo Gonçalves determina o caso por encerrado com o pedido de prisão de todos os envolvidos.

Fonte: Revista Camocim

Nenhum comentário: