VC REPÓRTER - CONTRIBUA CONOSCO E ENVIE FOTOS E VÍDEOS

VC REPÓRTER - CONTRIBUA CONOSCO E ENVIE FOTOS E VÍDEOS

quarta-feira, 25 de maio de 2016

POLÊMICA! PRESIDENTE DO SINDASP-CE PEDE PARA IMPEDIR VISITA A PRESÍDIOS

video

Pedido para barrar visitas ocorreu no sábado, durante greve da categoria. Para governador Camilo Santana, impedimento foi estopim de rebeliões.

Em um vídeo um vídeo divulgado em grupos de WhatsApp, o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Ceará, Valdemiro Barbosa, defendeu que os profissionais da categoria impedissem a entrada de visitantes nos presídios durante a greve, no sábado (21).
"Queria pedir a vocês que mantenham a pegada, vamos à luta, vamos continuar com nossas atividades paralisadas, vamos impedir a entrada das visitantes porque só assim o Governo do Estado atenderá a nossas reivindicações", diz o presidente do sindicato. (veja no vídeo acima)
Na terça-feira (24), o governador do Ceará, Camilo Santana, responsabilizou esse ato do comando de greve pela crise que resultou na destruição de presídio e na morte de pelo menos 18 detentos em conflitos entre os presos. O G1 tentou falar com o presidente do sindicato, mas as ligações não foram atendidas.
A diretoria do Sindicato dos Agentes e Servidores do Sistema Penitenciário do Estado do Ceará (Sindasp-CE) lamentou o posicionamento do governador e considera que o ocorrido nas unidades prisionais do Estado não pode ser atribuído à greve. Para o sindicato, o ocorrido já havia sido previsto pelo conselho penitenciário há semanas, dadas às condições dos presídios do estado.
Em outro trecho, Valdemiro "parabeniza" a categoria pelo tumulto causados em cadeias e presídios. "Primeiramente queria parabenizar a nossa categoria pelo grande movimento. Dezenas de cadeias públicas paralisadas no interior do Estado, toda a Região Metropolitana paralisada, tumulto em todas as cadeias, de pequeno e grande porte. (Assista ao vídeo na íntegra.)
Greve e rebeliões
As rebeliões começaram após a greve dos agentes penitenciários e o cancelamento das visitas no sábado. Os detentos destruíram celas, puseram fogo em materiais inflamáveis e mataram 18 detentos em conflitos internos, segundo a Secretaria da Justiça. O juiz responsável pelo sistema prisional afirma que o número de mortos pode chegar a 26.
Com o cancelamento das visitas, Francisca Mônica diz que não vê o filho há duas semanas. "Nesse sufoco todinho que a gente passou, a gente que é mãe não sabe se está vivo ou se não está, aí foi que eu vi a lista aqui e vi que ele não está [morto]", diz a mãe.

CNJ pede informações

Com a crise no sistema penitenciário no Ceará, o presidente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski, determinou a busca de informações junto ao Judiciário e ao Governo do Estado sobre a situação atual e os encaminhamentos feitos até o momento.
O objetivo, segundo o CNJ, é organizar, "se for o caso", uma estratégia de ação mais abrangente. O conselho qualificou os atos registrados no estado no último fim de semana como "graves episódios".
Governo responsabiliza agentes
O governador do Ceará, Camilo Santana, responsabilizou o comando da greve dos agentes penitenciários pelos recentes episódios de rebeliões, conflitos e mortes ocorridos nos presídios durante o fim semana. Segundo Camilo, os agentes impediram as visitas aos presos, o que causou revolta entre os detentos.
A diretoria do Sindicato dos Agentes e Servidores do Sistema Penitenciário do Estado do Ceará (Sindasp-CE) lamentou o posicionamento do governador e considera que o ocorrido nas unidades prisionais do Estado não pode ser atribuído à greve. Para o sindicato, o ocorrido já havia sido previsto pelo conselho penitenciário há semanas, dadas às condições dos presídios do estado.

Caos no sistema prisional

Desde sábado (21), detentos estão rebelados. No fim de semana, presos invadiram alas e mataram outros detentos, além de quebrar celas, armários, grades, cadeiras e queimar colchões após a suspensão das visitas, segundo órgãos de segurança.
Agentes penitenciários do estado entraram em greve no sábado, voltaram no fim do dia após negociação com o governo do estado, mas os detentos já estavam fora de controle. Familiares bloquearam a BR-116 por diversas vezes no domingo (22).
Em nota, a Sejus informou que toma "todas as medidas necessárias para estabilizar a situação nos presídios". No domingo, o governador Camilo Santana solicitou o apoio da Força Nacional de Segurança para de garantir a estabilidade nos presídios, especialmente durante a recuperação das instalações, que foram destruídas por conta das rebeliões. A chegada do comboio com 20 viaturas é aguardada para esta semana.

Fonte: G1Ce

4 comentários:

Anônimo disse...

Toda solicitação de melhoria salarial e valida; só q colocar a vida do cidáo em risco ai e putaria, somos nos q pagamos esses salariais Drs; o sindicato comemora confusão e quebra quebra. MP com a palavra.

Anônimo disse...

besteira o cara so elogiou a forca e atitude de sua categoria , deveria repercutir na verdade a omissao e negligencia do governo em ter ciencia da superlotacao das unidades em cem por cento e nada fez isso sim deveria ser materia para apuracao e impultacao de culpa para o governador e secretario de justiça pois eles que sao os verdadeiros culpados , dessa desgraça , os agentes so fizeram o movimento grevista porque ja nao tinha mais o que fazer depois de varias reunioes que o governo demostrava incapacidade de resolver tais reeinvidicaçoes da categoria ,

Anônimo disse...

SOMOS A FAVOR DO INTERNO CUMPRIR SUA PENA , DE MANEIRA DÍGNA , MAS DEBAIXO DA LEI , DA MORAL E DA DISCIPLINA. NÃO ESSE CABARÉ Q ESTÁ A CADEIA LOCAL !!!!

Anônimo disse...

concordo com o ultimo comentário o sistema carcerário está falido em todo o Brasil, quem manda são os presos, os agentes estão entregue a sua própia sorte