VC REPÓRTER - CONTRIBUA CONOSCO E ENVIE FOTOS E VÍDEOS

VC REPÓRTER - CONTRIBUA CONOSCO E ENVIE FOTOS E VÍDEOS

quarta-feira, 24 de maio de 2017

PARABÉNS GLORIOSA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO CEARÁ PELOS 182 ANOS

A Instituição, que teve como primeiro comandante o tenente do Exército Braseiro, Tomaz Lourenço da Silva Castro, conta atualmente com um contingente de mais de 16 mil servidores e é a única Instituição mantida pelo Estado presente em todos os municípios cearenses.
Criada no ano de 1835 pelo padre e senador José Martiniano de Alencar, pai do romancista José de Alencar, a PMCE participou de diversos episódios de repercussão nacional e internacional. O coronel João Xavier de Holanda, da reserva da PM, é especialista na história da Corporação e diz que se orgulha de fazer parte da Instituição que ele considera "gloriosa e altaneira na defesa do povo cearense".

"A PM foi convocada para a Guerra do Paraguai, esteve na Revolução de 1930, na Revolução Constitucionalista de 1932. Sempre que foram requisitados, os militares do Ceará demonstraram coragem nos combates", afirmou o coronel.

O oficial conta com orgulho o dia em que a PM enfrentou o bando de Lampião e conseguiu expulsar os cangaceiros do município de Jaguaribara, mas lembra também fatos tristes para a Corporação. "Durante a Sedição de Juazeiro, quando os seguidores de Padre Cícero se dirigiam para Fortaleza para depor o Governo, houve um confronto na Cidade de Acopiara e o comandante das tropas, J. Da Penha, foi morto. Como muitos outros policiais durante estes 180 anos, morreu tentando defender o povo do Ceará", disse Holanda.


Evolução

O responsável pelo Acervo Histórico da PM, soldado Francisco José Abreu, afirma que a Polícia vem se moldando para atender as necessidades da sociedade. O militar conta que no começo os integrantes da Instituição eram recrutados e passavam apenas por testes físicos. Muitos dos policiais não eram, sequer, alfabetizados. Para aprimorar as doutrinas, foi criada a Academia Estadual de Segurança Pública (Aesp/CE), que instrui e qualifica policiais até hoje.

Ele lembra que, a exemplo desta busca por qualificação, foi lançado o modelo 'Cosme e Damião', em Fortaleza no ano de 1954. Os militares precisavam ter o ensino ginasial completo, fazer seleção escrita e serem submetidos a um curso de etiqueta.

"Até ali a Polícia era iminentemente rural. O modelo 'Cosme e Damião', implantado em 1954, foi inspirado no policiamento inglês. Eram dois PMs que andavam juntos, com as mãos para trás e faziam rondas a pé nos quarteirões do Centro. Já era uma visão de policiamento muito moderna para a época. As pessoas saíam de suas casas para verem esses policiais".

A partir deste princípio de polícia comunitária, muitos outros modelos surgiram. O primeiro a usar o termo 'policia comunitária' foi o coronel Eudoro Santana, no ano de 1987.

O então comandante da PM, coronel José Israel Cintra Austregésilo acatou o projeto e lançou a PMTur voltada para o turismo; e a criou o Grupo de Policiais Militares (GPM), que contava com doze policiais que trabalhavam sempre na mesma área e deveriam interagir com a comunidade local.

Já as tropas especiais, eram um único pelotão, criado na década de 1970. Com o passar dos anos, o Pelotão Especial evoluiu e se transformou no BPChoque, que hoje conta com diversos braços especializados em controle de distúrbios civis.

Mulheres na PM

A primeira turma de policiais femininas ingressou na Corporação, no ano de 1994. A major Cléa Beltrão diz que enfrentou preconceito quando entrou, mas isso foi resolvido. "Não importa se somos homens ou mulheres, somos policiais. Estamos aqui por vocação e com o mesmo fim: defender a população cearense". Já a tenente Elisângela Feitosa conta que é realizada na profissão. Casada com um PM, com uma sirene intermitente no toque do celular, revela: "não entrei aqui por um sonho, mas descobri que nasci para isto".

Márcia Feitosa

Repórter

Fonte: DN

Um comentário:

Marcílio, Granja disse...

Marcílio, Granja-ce
Parabéns! Sei que vocês são muito importante para a sociedade.