terça-feira, 21 de abril de 2015

ACUSADO DE CHACINA DO APRAZÍVEL FOGE DE DELEGACIA EM FORTALEZA.

Dos fugitivos, apenas um foi recapturado ainda ontem; os demais homens permanecem foragidos da Justiça.

Uma fuga em massa foi registrada na madrugada de ontem, na Delegacia de Capturas e Polinter (Decap), no Centro da Capital. Segundo informações da Polícia Civil, pelo menos 13 presos teriam escapado.
Dentre eles, José Cleiton Rodrigues Pereira, o 'Keké', de 30 anos. Ele foi preso na última sexta-feira (17) suspeito de participar do assassinato de seis pessoas no distrito de Aprazível, município de Sobral, Área Integrada de Segurança 12 (AIS 12).
Os detentos serraram as grades de uma das celas e escaparam pelo telhado da unidade prisional. Até o fechamento desta edição, a Polícia não havia realizado a divulgação dos nomes dos fugitivos.
A fuga somente foi percebida por volta das 4h. Segundo o diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM), Jairo Façanha Pequeno, as apurações já iniciaram para buscar identificar os responsáveis para que a ação lograsse êxito.


"Uma delegada plantonista esteve no local ainda durante a madrugada. Um inquérito foi instaurado no 34º DP (Centro) para apurar as responsabilidades e entender como se deu a fuga", informou Façanha.
Conforme o diretor do DPM, no momento da fuga, as Delegacias da Região Metropolitana de Fortaleza, incluindo a Decap, contabilizavam 803 presos.

Patrulhas do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) e Comando Tático Motorizado (Cotam), do Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) realizam diligências desde ontem por bairros próximos ao local da fuga para tentar recapturar os fugitivos. Até o fechamento, apenas um dos homens havia sido recapturado. A identificação do preso não foi revelada.

Os detentos serraram as grades de uma das celas da Delegacia de Capturas e Polinter durante a madrugada e escaparam pelo telhado da unidade prisional

Reincidência

Em fevereiro deste ano, outros 17 detentos também fugiram da Decap após serrarem as grades das celas durante a madrugada. 
Naquela ocasião, dos 128 presos que estavam no local, 17 conseguiram escapar serrando as grades de uma das celas.

A arma do inspetor que estava de plantão sozinho foi encontrada em um xadrez, em posse dos detentos, segundo informações de outro agente da Decap, que pediu para não ser identificado.
Ainda em fevereiro, um policial civil relatou que as fugas e motins na Delegacia de Capturas e Polinter acontecem com frequência, potencializadas pela situação insalubre das celas.

Em constante superlotação, sem iluminação adequada, nem entradas de ar, a permanência na Decap gera revolta entre os presos, que não titubeiam em planejar ações.
Entre os fugitivos de fevereiro da Decap estavam homens tidos como líderes de quadrilhas especializadas em assaltos a carro-forte e agências bancárias em todo o Estado, além de uma dupla de pistoleiros que, juntos, eram apontados como responsáveis por mais de 50 homicídios.

Chacina

Dois suspeitos de participação na chacina ocorrida em Sobral no último dia 14 foram presos. O primeiro detido, 'Keké', que responde também por roubo, fugiu da Decap durante a madrugada. Entretanto, o segundo suspeito, Antônio Gomes de Sousa, o 'Antônio Mourão', de 35 anos, permanece recolhido na Delegacia de Capturas. Ele também responde por roubo. 
Segundo a Polícia, 'Antônio Mourão' estava abrigado em um espaço separado e, por isso, não escapou com os demais homens que fugiram da unidade.

De acordo com o delegado Júnior Vieira, titular da Delegacia Regional de Sobral, as apurações sobre o caso se iniciaram com duas vertentes investigatórias, que seriam vingança ou acerto de contas.
Durante as diligências realizadas pelas Polícias Civil e Militar no sentido de elucidar o caso, as apurações apontaram a motivação dos seis homicídios como sendo vingança pela morte de um homem chamado José Aparecido, o 'Cidinho'. Ele foi morto a tiros no dia 22 de janeiro, a mando de Maria de Jesus.

Este primeiro crime teria motivado as outras seis mortes, inclusive a da própria Maria de Jesus. 'Cidinho' era irmão de dois dos quatro acusados de envolvimento na chacina.

Os irmãos de 'Cidinho' foram identificados como Damião e José Roger e estão sendo procurados pela Polícia. 'Keké' é primo dos dois suspeitos.

Fonte: DN

Um comentário:

Anônimo disse...

Injustificável o q ocorreu.