quarta-feira, 11 de abril de 2012

GOVERNO DO ESTADO REBATE ACUSAÇÕES DE DESCUMPRIMENTO DE ACORDO COM POLICIAIS MILITARES.

O Governo do Estado do Ceará, através da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), divulgou nota à imprensa rebatendo acusações de descumprimento do acordo firmado em janeiro com policiais e bombeiros militares.
Ainda de acordo com a nota, "as negociações sobre os itens ainda pendentes estão acontecendo dentro dos prazos acordados. Entretanto, alguns desses pontos, devido a sua natural complexidade, demandam um maior planejamento e, em consequência, um maior espaço de tempo para a sua resolução."


Policiais ameaçam nova greve

Mais cedo, os policiais militares, através da Associação dos Profissionais de Segurança Pública (Aprospec), ameaçaram nova greve, caso não haja acordo com o governo. "O Governo já remarcou por duas vezes as reuniões. A próxima, está prevista para o dia 18 e, caso não entremos em acordo, pode haver outra greve", disse o presidente da Aprospec, capitão Wagner Souza.

A categoria reivindica o aumento do auxílio alimentação para o valor de R$ 220, diminuição da carga horária para 40h/semanais, reajuste de 2013/2014, atualização do código de ética e política de promoções. Apesar da ameaça, o vice-presidente da Aprospec, inspetor Gustavo Simplício, afirmou que os servidores da segurança pública não querem a greve. "Queremos apenas o que já havia sido acordado", ratifica.

O último movimento paredista durou cinco dias e teve seu fim em 4 de janeiro. Uma assembleia geral unificada dos policiais militares, bombeiros, policiais civis e agentes penintenciários já está marcada para o dia 26 de maio, no Colégio Sistema, para definir se a categoria entrará ou não em greve.

Fonte: DN
CAMOCIM POLÍCIA 24hs

Nenhum comentário: