sexta-feira, 8 de julho de 2011

POLICIAIS CIVIS DE CAMOCIM (E DE TODO O ESTADO) CONTINUAM EM GREVE.

POLICIAIS CIVIS DE CAMOCIM EM GREVE
Os policiais civis de Camocim informam que a greve está mantida e que estão seguindo a orientação do SINPOCI em dispor 30% do efetivo trabalhando, seguindo assim as normas constitucionais.

 Os policiais civis decidiram peitar a Justiça e mantiveram a greve que chega hoje ao sétimo dia. Ontem à tarde, a presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Carreira do Ceará (Sinpoci), Inês Romero, acompanhada pelos advogados Leandro Vasques, Raphael Bruno e Caio Dantas, esteve no Fórum Clóvis Beviláqua para oficialmente tomar conhecimento da decisão judicial que declarou a ilegalidade do movimento.

Em contato com o juiz Paulo de Tarso Nogueira Pires, da 6ª vara da Fazenda Pública, os advogados do Sinpoci requereram ao magistrado a reconsideração da decisão e, paralelamente, ingressaram no Tribunal de Justiça do Estado com um recurso de agravo de instrumento contra o despacho do juiz.

Inês garante que a paralisação está mantida. “Entramos com os recursos cabíveis e vamos aguardar”, afirmou. De acordo com o advogado Raphael Bruno, o juiz não tem competência para decidir sobre a greve da Polícia Civil.

Ele explica que, conforme a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Tribunal de Justiça do Ceará, uma decisão sobre o assunto deve ser do TJCE. Inês Romero adiantou que a diretoria do Sinpoci deverá publicar edital convocando seus associados para, em assembleia, definir os encaminhamentos do movimento. A data provável é a da próxima segunda-feira. Mas, segundo ela, ainda não está confirmada oficialmente.

Pela decisão judicial, o Sinpoci está sujeito a uma multa diária no valor de R$ 10 mil caso descumpra a determinação. O juiz Paulo de Tarso destacou em sua decisão que a greve da categoria gera perigo à ordem pública, à paz pública e à estabilidade das instituições.

Um comentário:

Anônimo disse...

brito vc ficou lino nessa foto