segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

NÚMERO DE CRIMES CAÍRAM NO FINAL DE SEMANA.

Autoridades atribuem a diminuição dos crimes ao incremento das ações policiais de abordagens e operações de saturação

O número de casos de homicídios nos fins de semana vem progressivamente caindo na Grande Fortaleza desde o início do ano. Conforme pesquisa realizada pela Editoria de Polícia, com base nos registros da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops), da Perícia Forense e das delegacias plantonistas. Fevereiro apresentou uma queda de 18,1 por cento dos assassinatos na RMF em comparação ao mês de janeiro.

Nos quatro finais de semana de janeiro de 2011, 65 pessoas foram mortas na Capital e sua região metropolitana, em períodos compreendidos entre 18 horas de sexta-feira e 6 horas de segunda-feira. Em fevereiro, foram 55 casos.
A redução dos assassinatos, conforme as autoridades, é atribuída ao aumento das operações policiais de busca a foragidos, de desarmamento e repressão ao tráfico de drogas. Das 18 horas da última sexta-feira até o fechamento desta edição, apenas sete homicídios haviam sido registrados pela Ciops.No ´Território da Paz´, área que compreende o Grande Bom Jardim, os registros de crimes também tiveram uma queda, conforme dados colhidos pela 4ªCompanhia do 6º BPM (Conjunto Ceará), unidade da PM responsável pelo policiamento ostensivo daquele setor da Capital. Segundo o comandante da companhia, major Océlio Alves, o trabalho integrado das patrulhas do POG (Policiamento Ostensivo Geral), do Ronda do Quarteirão e do Serviço de Inteligência (recentemente reativado) têm recebido o reforço das chamadas ´unidades especiais´, como o Comando Tático Motorizado (Cotam), Canil e o grupo Rondas de Ações Intensivas e Ostensivas (Raio).

"No ano passado, entre os meses de janeiro e fevereiro, foram registrados 22 homicídios na área da Companhia. Agora, em 2011, estamos com o registro de 13 casos", diz Alves.

O comandante-geral da PM, coronel Werisleik Ponte Matias, afirma que a intensificação das operações nas áreas de maior índice de crimes não tem data para acabar. "Estamos trabalhando diuturnamente, inclusive nos fins de semana, com operações de saturação, cerco, checagem de denúncias de tráfico e blitze em conjunto com o Detran nos bairros", assegura.

Com a chegada de mais 50 policiais, o grupo Raio aumentou sua presença na cidade. O número de equipes foi quase triplicado. Somente na noite de ontem, 14 patrulhas estavam nas ruas da Grande Fortaleza, distribuídas conforme orientação do comandante da unidade, major PM Márcio Oliveira.
Fonte: DN

Nenhum comentário: