quarta-feira, 15 de julho de 2020

EXECUÇÃO A BALA NA CIDADE DE UMIRIM

A polícia voltou a registrar um homicídio a bala no município de Umirim. O sinistro aconteceu por volta das 22h de terça-feira, 14, ocasião em que um homem identificado como Francisco Soares das Chagas, de 31 anos, foi morto a bala em uma praça localizada do bairro Tancredo Neves. Ainda conforme o apurado pela polícia, a vítima estava sentada na referida praça quando foi abordado por uma dupla que sem mais, sem menos, efetuaram disparos contra a vítima que qual morreu ali mesmo no local. Após cometer o crime de homicídio os indivíduos fugiram e não foram mais localizados.

MULHER É DETIDA POR PM'S DO RAIO DE GRANJA APÓS ENTREGAR MOTO PARA FILHO ADOLESCENTE


Na terça-feira, 14, uma mulher foi detida e processada sob suspeita de ter entregado uma motocicleta para seu filho menor de idade trafegar pelas ruas de Granja. As informações enviadas ao Camocim Polícia 24h dão conta que os pm’s do Raio patrulhavam pela cidade e quando passavam pela CE-085, avistaram duas pessoas em uma moto e que ao perceberem a presença dos policiais realizaram uma manobra perigosa na tentativa de fugir, no entanto, foram logo perseguidos e abordados pelos pm’s. Durante a abordagem os pm’s verificaram que o condutor da moto era um adolescente de 15 anos e a garupeira uma adolescente de 14. Para os pm’s o adolescente teria dito que sua mãe era a proprietária da moto e que teria lhe entregado para dá uma volta.

COMANDANTE DAS TRÊS FORÇAS ARMADAS REPUDIAM DECLARAÇÕES DE MINISTROS GILMAR MENDES E ACIONAM PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA


O ministro da Defesa, general Fernando Azevedo, informou que irá enviar uma representação à Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes “para adoção das medidas cabíveis”. A reação se deve a uma fala proferida pelo ministro no último sábado (11), no qual afirmou que “o Exército está se associando a esse genocídio”, referindo-se às mortes por covid-19 no país, destaca o Correio Braziliense. 
O ataque do Ministro foi feito em uma transmissão ao vivo realizada pela revista Isto É. Nela, Mendes criticou o fato de o Ministério da Saúde estar, até hoje, sem ministro, sendo comandada interinamente pelo general Eduardo Pazuello desde a saída de Nelson Teich, em maio. “Isso é ruim, é péssimo para a imagem das Forças Armadas. É preciso dizer isso de maneira muito clara: o Exército está se associando a esse genocídio, não é razoável. Não é razoável para o Brasil”, afirmou.