sábado, 28 de dezembro de 2019

ESTATÍSTICAS POLICIAIS DE CAMOCIM E REGIÃO NO MÊS DE NOVEMBRO - PARTE III

Lesões a bala, a faca, a pauladas, a pedradas, acidentes de trânsito fatais e acidentes de trânsito graves. O blog Camocim Polícia 24h preparou para seus leitores um levantamento sobre os números desses acontecimentos ocorridos no mês de novembro na área da 3ªCia/3ºBPM (Camocim, Granja, Martinópole, Barroquinha e Chaval). Os dados foram coletados a partir dos próprios arquivos do blog em parceria com a Polícia Militar.
  • Lesões a bala: 01 caso em Chaval;
  • Lesões a faca: 03 casos em Camocim e 02 em Granja;
  • Lesões a pauladas: 01 caso em Camocim e 01 em Barroquinha; 
  • Lesões a pedradas: Nenhum caso;  
  • Lesões a socos: 03 casos em Granja e 01 em Camocim;
  • Prisões por lesão corporal: 03 prisões em Camocim e 01 em Granja;
  • Acidentes de trânsito fatais: 03 casos em Camocim e 01 em Chaval;
  • Acidentes de trânsito grave: 01 caso em Camocim e 01 em Chaval.

ARMAZÉM PARAÍBA - OPERAÇÃO FINAL DE ANO SE INICIA NESTA SEGUNDA-FEIRA, 29


O Armazém Paraíba abre suas portas nesta segunda, 30, e terça-feira, dia 31 para realizar a última promoção do ano de 2019. A ordem é limpar o estoque para o próximo ano.  
Aproveite ofertas com preços super baixos em todos os setores da loja. Compre e pague em até 12 vezes no cartão Paraíba ou no seu cartão de credito com desconto.  
Não compre nada agora sem antes passar na loja do Paraíba mais perto de você. Além das ofertas em eletrodomésticos, eletrônicos, móveis, celulares e bicicletas você recebe seu produto instalado na sua casa com a maior facilidades do mercado. 
Em Camocim, o Armazém Paraíba está localizado à rua: 24 de maio, 1679 no centro. Telefone: (88) 3621-0489. 

Via Camocim Portal de Notícias

VOCÊ JA PAROU PRA PENSAR "COMO SERIA O MUNDO SEM POLÍCIA?"


Ao refletir sobre vários episódios nos quais a polícia é criticada e execrada constantemente, imaginei como seria um mundo sem polícia. O que aconteceria se, de uma hora para outra, todos os policiais desaparecessem? 

Primeiras horas

Em um mundo sem polícia, nas primeiras horas, não haveria muita diferença. As pessoas, aos poucos, iriam procurar a certeza de que realmente não mais existia a polícia. Os ricos demonstrariam um pouco de preocupação, ainda sem querer acreditar. 

Primeira semana

Uma semana sem polícia. Nesta primeira semana, a maioria das pessoas daria início a pequenas transgressões. Os sinais de trânsito não mais seriam respeitados. Os mais afoitos começam a entrar em lojas, restaurantes e supermercados, e de lá sairiam sem pagar. Não agiriam como ladrões, nervosos e correndo. Agiriam com calma e cinismo. 

 Primeiro mês

Um mês sem polícia. A Justiça faria uma reunião de emergência. O ponto principal a se discutir seria como viabilizar as decisões dos juízes, sejam prisões, reintegração de posse, ou qualquer cumprimento obrigatório de uma ordem judicial. Não chegaria a nenhuma conclusão, pelo simples fato de que não há mais a polícia para fazer cumprir a lei. Surge um mercado negro efervescente de venda de armas. Todos querem ter uma.
 Seis meses

Seis meses sem polícia. Os homicídios multiplicam-se por dez. Os corpos permanecem nas ruas. Não há mais os bombeiros e nem peritos, e nem policiais para investigar. Almas ainda caridosas recolhem os corpos. Os políticos, antes detentores de um imenso poder, são caçados como galinhas gordas, e executados friamente. Alguns oferecem seus bens em troca da vida. Os presídios foram abertos, já que não mais existem guardas, e uma imensa horda de criminosos passa a vagar pelas ruas. As agências bancárias não mais funcionam, face ao grande número de roubos. 

 Um ano

Um ano sem polícia. A cidade se torna um caos. Grupos armados passam a dominar ruas e bairros. O dinheiro deixa de circular pela inexistência dos bancos. Os ricos constroem apressadamente bunkers. Não há para onde fugir, pois em todo o mundo não há mais polícia. 

 Dois anos

Dois anos sem polícia. O comércio como no passado não mais existe. Volta-se ao escambo. A regularidade é o roubo, a extorsão e o homicídio. 

 Dez anos

Dez anos sem a polícia. A sociedade encontra-se totalmente esfacelada. Todos os sistemas de produção foram dizimados. A população foi reduzida em mais de quarenta por cento, e continua diminuindo face a imensa matança. Mata-se por qualquer motivo, desde uma antiga desavença até mesmo porque não se gostou da forma como o outro nos olhou. Os grupos que se formam tornam-se mais poderosos pela força, expandem seus domínios, e passam a sequestrar e escravizar pessoas, principalmente mulheres. Os homens são obrigados a trabalhos forçados. 

 Vinte anos

Vinte anos sem a polícia. Os limites geográficos antes conhecidos como cidades e bairros não mais existem. Foram reordenados pelos grupos que impuseram seus domínios, e receberam nova denominação. Água, comida e agasalho serão acessíveis apenas aos que possam conseguir pela violência. Os mais fracos mendigam. As mansões e os prédios de luxo foram tomados dos mais ricos. Bandos de vândalos e saqueadores perambulam pela noite, matando, roubando e destruindo. O consumo de drogas é afinal totalmente liberado. A cultura e a produção literária deixaram de existir em dez anos no mundo sem polícia. Os mais novos não aprenderam nem a ler. Aliada aos homicídios generalizados, as doenças matam ainda mais. Não se produz nenhum tipo de remédio, exceto os caseiros. A sociedade como a conhecíamos, com uma policia tentando manter a lei e a ordem, acabou. Prevalece a barbárie, a lei do mais forte. A existência do homem aproxima-se do fim. 

 Por Aurílio Nascimento

PRESIDENTE BOLSONARO SANCIONA LEI QUE ACABA COM PRISÃO DISCIPLINAR PARA PM'S DE TODO BRASIL


Com a nova lei, os presídios militares poderão ser desativados pelas PMs nos estados  

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, sem vetos, o projeto de lei que acaba com a pena de prisão disciplinar para os policiais militares e os bombeiros militares dos estados brasileiros e do Distrito Federal. O projeto prevê que agora esses profissionais serão regidos por um Código de Ética e Disciplina que deve ser criado no âmbito estadual. 
De acordo com a Lei 13.967, os estados brasileiros têm um prazo de 12 meses para criar esse código de ética, cuja finalidade deve ser "definir, especificar e classificar as transgressões disciplinares e estabelecer normas relativas a sanções disciplinares, conceitos, recursos, recompensas, bem como regulamentar o processo administrativo disciplinar e o funcionamento do Conselho de Ética e Disciplina Militares". 

Via Fernando Ribeiro

ILHA PARK HOTEL LANÇA MEGA OPERAÇÃO DE FINAL DE ANO