terça-feira, 22 de janeiro de 2019

CONFIRA AS PRISÕES E APREENSÕES REALIZADAS PELO BPRAIO DE CAMOCIM NO ANO DE 2018


O Tenente Jonas Santos, Comandante do 8º Pelotão da 4ª Cia do BPRaio de Camocim, apresentou os números das estatísticas das prisões e apreensões realizadas desde o início da implantação da base do Raio em nossa cidade (19 de junho de 2018) até o dia 31 de Dezembro do mesmo ano. Vale salientar que as ações do BPRaio visam combater todos os tipos de delitos, no entanto o foco principal são as abordagens visando combater o tráfico de drogas e a apreensão de armas de fogo.

Confira as prisões e apreensões realizadas no período de 19/06/2018 a 31/12/2018
1 – 185 adultos presos e 40 menores apreendidos, um total de 225 pessoas; 
2 – 145 procedimentos por tráfico de drogas; 
3 – Apreendidas 31,658 quilos de maconha / 4,335 quilos de crack e 2,019 quilos de cocaína, um total de 38,03 quilos de drogas; 
4 – Apreendido cerca de R$ 33.285,00 em dinheiro ilícito ou de origem duvidosa. 
5 – Apreendidas 38 armas de fogo; 
6 – Apreendidos 16 veículos; 
7 – 08 cumprimentos de mandos de prisões ou recapturas de foragidos.
É importante frisar que com a implantação do 8º Pelotão da 4ª Cia do BPRaio veio a queda drástica nos índices de criminalidade no nosso município, fato esse percebido por toda a população. De acordo com o oficial, a grande quantidade de prisões de traficantes e apreensões de armas de fogo teve como consequência imediata a diminuição da criminalidade não só em Camocim como também nos municípios vizinhos.

Disque denúncia do BPRaio Camocim: (88) 9 9476-8018

Camocim Polícia 24h

PREFEITO E SERVIDORES DE PEDRA BRANCA SÃO PRESOS SUSPEITOS DE FRAUDAR LICITAÇÕES



O prefeito de Pedra Branca, Antônio Gois Monteiro Mendes, foi preso na manhã desta terça-feira (22), em operação do Ministério Público e da Polícia Civil. A operação visa combater fraudes em licitações.
Além do prefeito, outras seis pessoas foram detidas: Francisco Pontes Pereira, coordenador de projetos sociais; Paulo José Martins de Lima, engenheiro civil; Marcilio Alcantara da Silva, secretário do meio ambiente; Edmilson Mendes Viana, ex-secretário de educação; Francisco Wiron Holanda Cavalcante, ex-vereador e comerciante e; Antonia Selma Bezerra da Silva, conselheira tutelar.
A reportagem entrou em contato com a prefeitura de Pedra Branca, na manhã desta terça-feira por telefone, mas as ligações não foram atendidas.

Apreensão de documentos e celulares

O Ministério Público cumpre ainda oito mandados de busca e apreensão domiciliar, inclusive na sede da prefeitura do município, tendo feito a apreensão de documentos e aparelhos celulares que serão importantes para o seguimento das investigações.
Após cumpridas todas as formalidades legais, os gestores foram encaminhados ao Code e Decap, no município de Fortaleza onde ficarão à disposição do Poder Judiciário.
Equipes da Polícia Civil dão apoio à operação organizada pelo Grupo de Atuação e Combate ao Crime Organizado (GAECO), do MPCE. A operação conta ainda com apoio das equipes da Polícia Civil de Mombaça, Senador Pompeu, Quixadá, Quixeramobim, Solonópole e duas equipes do Departamento de Polícia do Interior (DPI) Sul.

Fonte: DN

GRANJA-CE: PM'S DO RAIO PRENDEM DUPLA ACUSADA DE TRAFICAR NO BAIRRO SÃO PEDRO


Dois indivíduos foram presos por pm’s do Raio sob a acusação de traficar drogas no bairro São Pedro, em Granja. As\prisões aconteceram por volta das 17h30 de ontem, segunda-feira 21.

Prisões

Os militares da equipe Raio 04 patrulhavam pelo referido bairro quando viram dois velhos conhecidos da polícia e resolveram abordá-los. Um deles foi identificado como Benedito Marques de Araújo, vulgo “Bendito”, de 21 anos. Com o indivíduo foram encontradas 58 pedras de crack, R$ 535,00, quatro celulares e 01 tablet. De acordo com a polícia, já havia várias denúncias que Bendito traficava em sua residência.
Já o outro elemento foi identificado como Francisco Túlio Gomes do Nascimento, 23 anos, e no momento em que os pm’s se aproximavam para fazer a abordagem o indivíduo se desfez de um recipiente branco que continha 27 pedras de crack e R$ 140,00 em espécie e fugiu do local. Minutos depois o suspeito voltou com um advogado e mesmo assim recebeu voz de prisão. Os dois acusados foram conduzidos para a DPC de Jijoca onde o caso foi repassado ao delegado plantonista que os autuou em flagrante por crime de tráfico de drogas e já estão recolhidos à cadeia pública de Granja onde permanecerão à disposição da justiça.

Camocim Polícia 24h

AO CONTRÁRIO DO QUE SE PENSAVA, PRESOS CONTINUAM SEPARADOS POR FACÇÕES NO CEARÁ


O Sistema Verdes Mares conseguiu informações sobre o destino de 2.544 detentos, que estavam custodiados em 48 cadeias públicas e foram transferidos para grandes presídios do Estado

O sistema penitenciário cearense passa por mudanças drásticas em 2019, como a desativação de cadeias públicas no interior e a transferência de líderes de organizações criminosas para presídios federais. Mas, uma característica que ainda se mantém é a organização de presos, nas unidades, por facções criminosas.
O Sistema Verdes Mares conseguiu informações sobre o destino de 2.544 detentos, que estavam custodiados em 48 cadeias públicas e foram transferidos para grandes presídios do Estado. Os recambiamentos respeitaram a identificação dos internos com os grupos criminosos, se opondo à declaração do titular da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), Luís Mauro Albuquerque, logo no primeiro dia à frente da Pasta, de que não reconhecia facções nem a separação destas por unidades prisionais.
Os 119 presos que estavam na Cadeia Pública de Acaraú, que era dominada pelo Comando Vermelho (CV), foram transferidos para a Unidade Prisional Agente Luciano Andrade Lima (antiga CPPL I), em Itaitinga, que também concentra internos ligados à facção carioca.
Outro exemplo são os 50 internos da unidade de Morada Nova, onde havia predomínio dos Guardiões do Estado (GDE), que foram realocados no Instituto Penal Professor Olavo Oliveira (IPPOO II), também em Itaitinga, onde há prevalência da organização criminosa originada no Ceará.
Em cadeias consideradas mistas - com presos de grupos diversos e massa carcerária (internos sem facção) -, os internos foram distribuídos para mais de uma unidade, como é o caso do equipamento de Iguatu.