VC REPÓRTER - CONTRIBUA CONOSCO E ENVIE FOTOS E VÍDEOS

VC REPÓRTER - CONTRIBUA CONOSCO E ENVIE FOTOS E VÍDEOS

quarta-feira, 12 de julho de 2017

POLICIAL CIVIL MORRE DURANTE DEPOIMENTO NA CONTROLADORIA

O inspetor Flávio Martins Dantas faleceu na terça-feira (11), após passar mal enquanto prestava depoimento na Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública (CGD), como testemunha de um outro policial, segundo o Sindicato da Polícia Civil do Ceará (Sinpol-CE).
De acordo com o sindicato, "diante da pressão sofrida durante audiência interna, onde foi intimidado e coagido, Flávio relatou à familiares e testemunhas que estava se sentindo mal, devido ao estresse sofrido, chegando a relatar que a sensação era a de que seu peito estava "rasgando" de dor".
De acordo com uma familiar, o inspetor foi socorrido por funcionários da segurança para um hospital particular, no bairro Aldeota, em Fortaleza, entretanto, ao chegar ao local, foi deixado sem amparo do órgão, informou o Sinpol. O policial foi acompanhado pela esposa e pela sogra.
Ao receber os primeiros atendimentos, foi transferido à tarde ao Hospital da Messejana, em estado grave e seguiu direto para o centro cirúrgico, onde passou por um procedimento que durou oito horas, mas o policial, que teve um rompimento da aorta e chegou ao hospital com a pressão quase a zero, não resistiu.

Em nota, o sindicato afirmou repudiar o tratamento prestado pela CGD ao paciente, "onde se limitou a enviar funcionários terceirizados ao hospital e não prestou tampouco apoio à família. O Sinpol reitera o total descaso do órgão com a categoria, que visivelmente está sofrendo pressões".
Já a Controladoria, em nota, lamentou o falecimento do inspetor e esclareceu que o policial "foi ouvido, na qualidade de testemunha, acompanhado de seu advogado, nos autos de um processo Administrativo Disciplinar em data de 10/07/2017. A audiência ocorreu ainda com a presença de outros dois advogados dos indiciados. A testemunha passou mal após a audiência, sendo socorrida imediatamente por uma equipe deste órgão ao Hospital Prontocárdio. Cumpre esclarecer que a equipe da CGD somente deixou o hospital após a chegada de familiares".
Ainda segundo a CGD, foi determinada a abertura de um procedimento para apurar o caso.


Fonte: Cnews

4 comentários:

Anônimo disse...

Cadê o estado?dessapareceu?e os colegas,tem não né?

Anônimo disse...

Seu Flávio gente Boa. Era policial civil e nas folhas ele vendia confecção aqui em Camocim. Um Sr bastante educado e conversador.

Anônimo disse...

vamos ver se eles vao responder cgd tbm ou quem sabe muitos falam que ele foi abandonado no hospital outros versao e que cgd deu apoio vamos ver as cameras de vigilancia para tirar todas as conclusaoes e ver se vai servi tbm para corta na propria carne

Anônimo disse...

vamos ver se eles vao responder cgd tbm ou quem sabe muitos falam que ele foi abandonado no hospital outros versao e que cgd deu apoio vamos ver as cameras de vigilancia para tirar todas as conclusaoes e ver se vai servi tbm para corta na propria carne